Como usar as redes sociais nas grandes coberturas esportivas

Em 2008, na Olimpíada de Pequim, o Twitter estava inacessível na China, o Facebook era uma rede social ainda pequena e com pouca adesão no Brasil e o Orkut navegava com toda força à frente pelas ondas da internet brasileira. De lá para cá, as redes sociais modificaram o modo como nos informamos e conduzimos nossos relacionamentos e se tornaram, por ironia, a única grande novidade no jornalismo nesse período.

No início desta semana, em São Paulo, participei do seminário do IICS sobre as coberturas de grandes eventos esportivos e compartilho aqui a apresentação que fiz com algumas observações para ajudar as Redações no planejamento do uso de mídias sociais para a geração de conteúdo em grandes coberturas.  Minha apresentação complementou as de Ana Brambilla e Eduardo Generoso, que também participaram do painel.

Ressalto disso tudo a minha visão de que é fundamental para qualquer jornalista, independente do meio em que opere, ter conhecimento de excelente nível sobre mídias sociais: como e o que postar, como monitorar pessoas, temas e tendências, como checar as informações e compartilhar nos seus canais e como medir resultados do seu trabalho para melhorar continuamente o seu trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *