A Escola de Interatores desenvolveu um processo próprio de diagnóstico das necessidades de capacitação dos profissionais das organizações de mídia. O objetivo dessa avaliação prévia é conhecer as reais necessidades de capacitação dos profissionais de comunicação da empresa e fundamentar uma proposta acadêmica que seja efetiva para a formação das equipes, que indique os conteúdos que serão realmente necessários para os objetivos estratégicos da organização, que identifique o nível de profundidade adequado desses conteúdos e que não ocupe o tempo dos profissionais para além do necessário.

Ainda que a aplicação deste processo de avaliação não implique em contratação de qualquer programa, acreditamos que quanto mais adequada for a proposta acadêmica às necessidades da organização, maior a otimização do investimento futuro.

Etapas do processo de avaliação para elaboração de proposta de treinamento

1. Identificação dos desafios estratégicos da organização

2. Entrevistas com profissionais das seguintes das áreas:

                • gestão
                • editorial
                • Marketing/comercial/métricas
                • TI

3. Mapeamento do portfólio de canais e produtos

4. Formulação da lista de temas resultante desta avaliação

5. Priorização dos temas

6. Identificação do contexto para aplicação do programa

7. Proposta acadêmica

8. Proposta de investimento

9. Execução

Como complementação ao item 3, oferecemos também uma avaliação de produto e conteúdo. Esta avaliação, que chamamos de Diagnóstico360, ajuda a identificar temas que estão fora do radar da gestão e melhora o entendimento sobre as carências da equipe e inconsistências do produto, está detalhada no final deste documento e pode ser contratada à parte.

Priorização

A etapa de priorização (item 5) pode ser executada a partir de critérios próprios da gestão da Redação, mas aconselhamos convidar para este processo também gestores de áreas que se relacionam diretamente com a Redação.

Nessa etapa, relacionamos em um quadro os temas detectados na avaliação, alinhados a seis critérios de priorização:

  1. Ganho de produtividade para a equipe
  2. Redução de custos
  3. Melhoria para o usuário
  4. Geração de audiência
  5. Geração de receita
  6. Alinhamento com a estratégia da organização

Aplicamos, então, um sistema de pesos para comparar as disciplinas considerando os critérios de avaliação. A priorização é uma ordenação da importância que os temas têm para a organização e serve de base para a formatação dos módulos.

Identificação do contexto para aplicação do programa

Nessa etapa, buscamos identificar o contexto da empresa para encaminhar o formato mais adequado às características da organização. São perguntas básicas que precisam ser respondidas para que as propostas acadêmica e comercial estejam adequadas à realidade e às necessidades da organização.

Quem

  1. Todos os profissionais serão treinados?
  2. Quantos serão no total?
  3. Eles podem ser ou serão divididos em turmas?
  4. Eles serão agrupados por área de conhecimento ou setor de trabalho?
  5. As turmas serão formadas de acordo com os temas de cada módulo?
  6. Há preferência por criar turmas específicas para assuntos mais especializados?

Quando

  1. Quais os melhores dias e horários para realização dos cursos?
  2. É possível fazer turmas em dois turnos?
  3. Quais os melhores turnos?
  4. É mais adequado realizar o programa em um ou dois ou três dias consecutivos?
  5. Há interesse em fazer um programa intenso ou é mais importante que seja algo perene? Ou as duas coisas?

Onde

  1. Há um espaço para a realização dos cursos?
  2. Será necessário usar um local fora da Redação?
  3. A estrutura do local é suficiente?
  4. Qual é a capacidade do local?

O Diagnóstico pode ser aplicado em organizações que tenham em suas áreas de conteúdo ao menos 20 profissionais. E não tem ônus para a empresa.

Quer saber mais sobre o Diagnóstico? Fale conosco