O Google faz enquanto a mídia dorme. Agora é o Google Currents

Interatores no Google Currents

Hoje poderia ser um bom dia para a indústria de mídia. Os tablets, as tábuas de salvação das nossas redações, devem vender o dobro do que venderam no ano passado. Serão mais 118 milhões de aparelhos nas mãos dos leitores em 2012, anunciou a Gartner. Mais aparelhos disponíveis para leitores ansiosos por informação; mais gente capacitada a pagar por aplicativos e provar que a experiência de leitura dos meios impressos pode ser repetida nos meios eletrônicos.

Se a miopia não prevalecesse, possivelmente as editoras já teriam investido em novos modelos de negócio que envolvessem a fragmentação do conteúdo. Em vez de vender somente edições fechadas, poderiam já ter oferecido conteúdo a granel. Em vez de criar somente aplicativos para as versões digitais de suas publicações, poderiam já ter apostado em um aplicativo que funcionasse como banca e vendesse artigos e reportagens de variadas origens.

Mas a história sempre se repete. A indústria da mídia não faz, aí vai lá o Google ou algum outro e faz pela mídia. Hoje o Google abriu para o resto do mundo o que já oferecia desde o ano passado para os americanos: o Currents, um novo agregador de conteúdo que funciona como uma banca digital.

Depois de baixar o aplicativo, o usuário pode configurar sua lista de leitura selecionando os temas de interesse e, dentro deles, as publicações. São mais de 180 e a elas é possível ainda agregar fontes que estão no Google Reader ou conteúdos selecionados por curadores.

O Google Currents otimiza o conteúdo para os vários formatos de tela dos tablets, oferece conteúdo gratuito (por enquanto) e permite o compartilhamento em várias redes sociais, incluindo botão para o Pinterest.

Uma boa notícia é que se você tem um blog ou uma publicação, pode criar uma conta de produtor e facilmente colocar no Currents a sua publicação. Acabei de fazer uma para Interatores e você pode inseri-la em sua biblioteca clicando aqui ou fazendo uma busca por “interatores”. Na área de administração, você pode inscrever seu código de Google Analytics e acompanhar também a audiência das suas páginas.

Com o Currents, minha lista de agregadores no iPad chega a 15 produtos diferentes. Cada um com suas especificidades, todos privilegiam a classificação do conteúdo, o design e a experiência de leitura. O Zite foi comprado pela CNN, mas nenhum dos 15 foi criado pela indústria de mídia.

Quer saber um pouco mais? Acesse o vídeo explicativo abaixo.


Introducing Google Currents

2 comentários sobre “O Google faz enquanto a mídia dorme. Agora é o Google Currents

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *