Otimização para Interatividade com a Audiência?

Em 2009, eu lecionei no Master em Jornalismo uma cadeira chamada “Instrumentos de Interatividade com a Audiência”. O tema resistiu pouco no currículo do curso, atropelado pela necessidade de conhecimento acerca de redes sociais, a grande curiosidade daquele momento. Essa mudança acadêmica, a meu ver, reflete o que aconteceu nas Redações. A atenção se voltou para as mídias sociais e os instrumentos e canais próprios de interação com os leitores ficaram em segundo plano.

O que não poderíamos ter esquecido é que o nosso ambiente e o das redes têm pontos de conexão, mas são mundos diferentes. Embora eu admita que seria impossível conter essa natural migração para os novos ambientes criados por Twitter, Facebook e outros, entendo que não precisaríamos ter aberto mão das nossas áreas de interação.

Numa apresentação que preparei sobre o tema – e que reproduzo abaixo para os interessados – faço uma revisão das ferramentas mais importantes e alguns dos motivadores que tínhamos para usá-las. Relembrar um pouco delas, por mais óbvio que pareça, é um bom exercício.

Nesse documento, proponho a criação de técnicas, na linha de SEO e SMO, de otimização da interatividade com a audiência atendendo a dois grupos de usuários distintos. Para o leitor, incentivo e facilidade para interação; para o jornalista, produtividade e facilidade para gestão.

Também procuro descrever algumas funcionalidades que promovem a aproximação e criam mais pontos de conexão entre os dois ambientes digitais: o das redes e os nossos sites. Proponho também encarar alguns conteúdos como um empreendimento, um exercício de inovação que considere na sua elaboração o envolvimento de pessoas com perfis diferentes, conteúdos que sirvam a várias plataformas, com expectativa de viralizar e possam construir comunidades em seu entorno, mesmo que essas redes se tornem obsoletas quando o interesse pelo tema definhar. O uso intensivo das mídias sociais deu experiência aos usuários e eles não se importarão com a volatilidade dessas novas redes se ingressar nelas for algo muito simples.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *